sábado, 5 de abril de 2008

poema novinho em folha

te sinto em cada gole deste vinho tinto
finjo que engulo sofregamente cada gota de você
vinho seco sem ser amargo venho tentando te esquecer
mas te lembro no aroma que sinto no fundo quando balanço a taça
perfume de frutas vermelhas
amora que me faz te ver
sorvo aos poucos, gota a gota, seu cheiro, como se estivesse faminta, como se não pudesse evitar te mastigar em cada pedaço imaginário das frutas de que foram feitas este vinho
bebo
degusto
sinto tanto por não tê-lo, você, aqui, perto,



vinho-lágrima

Paula

Um comentário:

Valdeck Almeida de Jesus disse...

Este poema é muito lindo e cheio de metáforas...

poema novinho em folha

te sinto em cada gole deste vinho tinto
finjo que engulo sofregamente cada gota de você
vinho seco sem ser amargo venho tentando te esquecer
mas te lembro no aroma que se sente no fundo quando se balança a taça
perfume de frutas vermelhas
amora que me faz te ver
sorvo aos poucos, gota a gota, seu cheiro, como se estivesse faminta, como se não pudesse evitar te mastigar em cada pedaço imaginário das frutas de que foram feitas este vinho
bebo
degusto
sinto tanto por não tê-lo, você, aqui, perto,


Adorei... parabéns, viu?
Beijão.

Valdeck Almeida de Jesus
www.galinhapulando.com