segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Olho sobre a tela



te digo o que não sinto.
exploro os meus sentidos.
Pinto o seu retrato colorido
à aquarela do amor.




Paula

Um comentário:

Fernando Al-Bukowski disse...

Li e reli este poema várias vezes... essa tua simplicidade me encanta, poucos versos que tanto dizem, é como uns pares de rabiscos num papel que formam um desenho... neste caso uma pintura.
Adorei!