sexta-feira, 13 de agosto de 2010

a menina na grade

um mundo atrás, e a menina na grade.

ela está imersa na segurança de seus dedos engalfinhados nos buracos da grade verde.

criando laços com o mundo à frente, ela ignora o som indistinto, que só eu pareço ouvir, de gargalhadas e passos arfantes. a felicidade para ela é algo sério, comprimido em seus lábios observadores e olhares molhados.

a profusão de carros, que não é isso que ela vê, e sim a loucura, o fervor da vida, faz o coração da menina da grade palpitar. a grade é verde, mas não sei se ela sabe.

os buracos lhe importam mais.


Um comentário:

Roberto Borati disse...

gostei da menina e sua grade.