quinta-feira, 8 de fevereiro de 2007

A vaidade é um prato cheio e gorduroso, pronto a causar indigestão. É preciso policiar-se a respeito, pois se concorremos, é somente com nossa própria existência, por vezes fazendo comparações infundadas. O que vai de encontro a seguinte conclusão:
"Eu sou o pior ser do mundo" (BUAH), o que acredito tratar-se apenas de mais uma tentativa de se sentir mais importante, especial. Afinal, ser o "o pior ser do mundo" a essa altura do campeonato é algo grandioso, eu diria que quase incalculável, levando em consideração que hoje em dia essa competição anda meio acirrada, isso porque nem estou contando com personalidades passadas!
Chegamos a uma conclusão sobre nós e o mundo, sempre usando como meio comparações. Rotulamos tudo e todos, para sabermos mais sobre quem somos (?)... ou, o que somos para os outros (?!).
Somos seres influenciáveis, PONTO!
Alguém começou dizendo o que era bonito, feio, etc,e o resto da humanidade seguiu.
Quem faz de você o que é?

De quem são olhos do mundo?!
Não quero chegar a nenhuma teoria sobre comportamento humano, tampouco, escrever textos "tipo"auto-ajuda, os odeio! O que desejo é reunir meus(?) pensamentos, que de algum modo me preenchem hoje...


A vaidade* é a gula da humanidade!

E... por tentar... explicar...


Recuso-me a escrever,
Tudo já foi dito e assinado
Prescrito ou ridicularizado,

Descreveram o amor
E por ele chorou-se e sorriu,
Por atalhos pecou-se
E por receio surgiu o perdão,

Sucesso e fracasso,
Preto e branco,


Guerrilharam em busca de paz (?).

Oh, mundo de pegadas...
Por vezes minto para inventar a verdade.

MIS




2 comentários:

miriam_ribas disse...

No mei caso tem sempre alguma coisa a mais pra dizer, hahahahahahaha! Adorei o blog Póla! Bjssssssssssss

Edmilson disse...

Rotulamos tudo e todos, para sabermos mais sobre quem somos (?)... ou, o que somos para os outros (?!).


concordo plenamente. estamos sempre apontando pra nos esconder.