domingo, 4 de fevereiro de 2007

Aproveitando à deixa...

Essa postagem de "Remorso", traz muitas lembranças, entre elas da época do CELAMM, dos professores, dos amigos, do recreio e da fila gigante no dia do risoto...
Espero fazer deste Blog, o qual divido com minha grande amiga, um livro aberto de lembranças, atualidades e tudo que de alguma maneira nos afeta.
Pensando em colégio, me vem a recordação do encontro semanal na quadra, onde todos os alunos cantavam o Hino Nacional, sob o olhar da professora Lúcia... que medo!
Tempos bons esses... mas que me deixaram em dívida com Olavo ( o Bilac), pois tantas vezes ali( na quadra do colégio) repetidas vezes, eu, Paula e todos os alunos ( com exceção dos escondidinhos) cantávamos o Hino Nacional, porém, nunca aprendemos a cantar "teu Hino à Bandeira Bilac"!
E fico a me perguntar:
Quanto mais de conhecimento deixamos para os pombos no pátio?!
Essa saudade é completa?!

O que importa é que cantarei para" Ti Olavo Único" e... para celebrar uma época que jamais voltará, que é lembrada agora, com "teu Hino esquecido"...


Mis

HINO À BANDEIRA NACIONAL


Salve lindo, pendão da esperança!
Salve, símbolo augusto da paz !
Tua nobre presença à lembrança,
A grandeza da Pátria nos traz

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!

Em teu seio formoso retratas
Este céu de puríssimo azul,
A verdura sem par dessas matas,
E o esplendor do Cruzeiro do Sul.

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!

Contemplando o teu vulto sagrado,
Compreendemos o nosso dever;
E o Brasil , por seus filhos amado,
Poderoso e feliz há de ser!

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!

Sobre a imensa nação brasileira,
Nos momentos de festa e de dor,
Paira sempre sagradabandeira,
Pavilhão da justiça e do amor!

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!


Música de Francisco Braga
Poesia de Olavo Bilac

Um comentário:

QuANdo-quaDO disse...

Pô, Mis, eu já achava um SACO ter que cantar o Hino Nacional sob o sol escaldante... Imagine se tivéssemos que cantar o da Bandeira também? Haha! Eu não teria suportado! Bjs.