quarta-feira, 8 de abril de 2009

[in vitro]

mas do que se trata o seu beijo?
e de que vêm carregadas as suas intenções?

tenho dentro de mim um grande espaço,
como páginas em branco de um caderno antigo
que, com um pouco de jeito, podem ser transformadas
num barquinho pra navegar, pra flutuar, e até num chapéu.

a ponta do meu nariz indica,
é como se fosse uma seta,
uma faca de ponta fina,
que não sei para onde aponta.

vou colocar então esse nariz de palhaço,
da cor do meu cabelo,
que é da cor da minha alma vermelho-sangue,
e vou pedir um beijo nele.

Oui, merci. Bien, et tu?
Bisous, mon cher. À tout à l'heur.
What is that all about?
You've proposed someone else.

"mas foi só um beijo.
por que há de se tratar?"



Paula

Um comentário:

Fernando Al-Bukowski disse...

"mas do que se trata o seu beijo?
e de que vêm carregadas as suas intenções?"

meu beijo é uma tese sobre a conectividade humana através da troca de sensações diluídas em fluidos corporais e unidas à nanopartículas de vida que geram calor instantâneo catalisando uma paixão.
minhas intensões são premeditadas, contudo um beijo leva à intensões por consequência, algo como o magnetismo que aumenta na aproximação de um imã.

o poema? bem, eu já falei... adorei.